quinta-feira, 19 de outubro de 2017

📺 Como usar o menu secreto que faz a Netflix travar menos em conexões lentas

Usuários que estão enfrentando problemas com o Netflix podem contar algumas opções escondidas para fazer o vídeo parar de travar. 

Além de alterar a resolução, é possível mudar a taxa de bits por segundo do áudio e imagem para acelerar o carregamento do streaming. 

Para fazer isso, basta apenas digitar um comando com o teclado no seu computador.

O recurso mostrado a seguir pode ser feito em qualquer navegador de PC facilmente e promete melhorar o desempenho do site em conexões lentas. Confira neste tutorial do Olhar Digital como abaixar o bitrate do Netflix.

1. Abra um vídeo no Netflix normalmente e aperte as seguintes combinações: Ctrl+Alt+Shift+S no Windows e Control+Alt+Shift+Sno Mac;


2. Uma janela aparecerá no meio da tela. Na primeira coluna, altere a taxa de bits por segundo do áudio. Quanto menor, mais rápido o vídeo carregará, mas a qualidade do som será reduzida;


3. Na coluna do meio, altere a taxa de bits do vídeo. A lógica é a mesma do áudio;

Dica. É possível selecionar várias de uma vez para que o Netflix altere automaticamente de acordo com a velocidade da sua conexão;

4. Quando terminar, clique em “Override” para alterar as taxas;


Observação. Caso não goste do resultado, abra o menu novamente e clique em reset;

Pronto! Agora você sabe como diminuir a taxa de bits por segundo do Netflix para facilitar o carregamento em conexões lentas.

👀 CUIDADO: Golpe usa jogo Minecraft para enganar usuários do Android

Se você é fã do jogo Minecraft ou conhece quem seja, fica o alerta

A Symantec, empresa especializada em segurança digital, encontrou oito aplicativos dentro da loja Google Play com riscos para o usuário. Os softwares maliciosos tiveram como foco principal os Estados Unidos, mas o Brasil também foi afetado.

De acordo com a companhia, os programas ofereciam opções para o jogador modificar personagens do Minecraft: Pocket Edition. No entanto, se tratavam de malwares capazes de transformar o smartphone em um botnet, uma espécie de zumbi que é programado para executar tarefas e comandos sem que o usuário tenha conhecimento, revelou em um comunicado divulgado ontem (18).

"Até agora identificamos pelo menos oito desses aplicativos, com uma base de instalação variando de 600 mil a 2.6 milhões de dispositivos. Este malware aparece principalmente visando usuários nos Estados Unidos, mas também tem presença na Rússia, Ucrânia, Brasil e Alemanha", informou a empresa.

Em alguns testes feitos pela Symantec, foi detectado que esses programas maliciosos tinham práticas aparentemente destinadas a gerar receita com publicidade em anúncios. Apesar disso, em nenhum momento os anúncios apareciam para os usuários. Os aplicativos conseguiam se conectar a um servidor de controle e por meio deles os celulares se conectavam a uma rede responsável por receber esses anúncios automaticamente. Com isso, as "visualizações" poderiam ir sendo feitas e resultando em futuros lucros. ]

A empresa informou que notificou o Google Play no dia 6 de outubro e este informou que todos foram removidos da loja virtual.

Como dicas de segurança, a Symantec sugere: manter o sistema operacional do seu celular atualizado, evitar baixar aplicativos de fontes e sites desconhecidos, reforçar a atenção em relação às permissões solicitadas pelo aplicativo na hora da instalação, ter um aplicativo de segurança para o celular e fazer backups regularmente.

💽 Microsoft 'se vinga' do Google e divulga falha no Chrome

A equipe de pesquisa de segurança ofensiva (OSR) da Microsoft divulgou hoje uma falha no navegador Chrome que permitiria a execução remota de código. Além de falar sobre a falha, a empresa também aproveitou a oportunidade para criticar a maneira como o Google atualiza seu navegador.

De acordo com a Microsoft, "o processo do Chrome para resolver vulnerabilidades pode resultar na divulgação pública de detalhes das falhas de segurança antes que as atualizações sejam enviadas aos consumidores". Em outras palavras, a Microsoft considera possível que falhas do Chrome sejam divulgadas ao público em geral antes que o Google tenha a oportunidade de corrigi-las.

Aqui se falha, aqui se paga

Essa descoberta da falha no Chrome pela Microsoft bem como sua divulgação e a crítica ao método de atualização do Chrome são uma espécie de "vingança" da Microsoft. Isso porque o Google já tinha "dedurado" a empresa por diversas falhas de segurança. Em mais de uma ocasião, o Google divulgou falhas antes mesmo que a Microsoft pudesse corrigi-las, furando o manual de boas práticas da segurança digital. 

Segundo o Bleeping Computer, essa "vingança" era basicamente a única razão justificável para a Microsoft divulgar essa falha. Todo o processo de descoberta, divulgação e correção do problema aconteceu ao longo de setembro, e a falha só existia numa versão antiga do Chrome - diferente da que a grande maioria dos usuários tem em suas máquinas. Por isso, o site considera que, fora o gostinho de se vingar, não haveria muita necessidade de a Microsoft divulgar essa falha agora.

Corpo mole

Nos outros aspectos, a falha encontrada pela Microsoft seguiu o mesmo protocolo que as demais falhas relatadas ao Google. O Google realizou um pagamento de US$ 15 mil (cerca de R$ 47,5 mil) à Microsoft por ter encontrado o problema; a empresa, por sua vez, doou o dinheiro a instituições de caridade, segundo o MSPoweruser.

Mesmo assim, a correção do problema não foi feita de uma maneira ideal. O Google corrigiu a falha primeiro no repositório do GitHub do Chrome. A correção ao programa, no entanto, só foi feita três dias depois. Com isso, qualquer usuário mal intencionado que percebesse a correção da falha poderia tê-la explorado durante esses três dias. 

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

💾 Instant Messenger da AOL se despede após 20 anos de serviço

O Instant Messenger de AOL (AIM), o primeiro do tipo a ser lançado no mercado, em 1997, vai funcionar só até 15 de dezembro deste ano, anunciou a empresa nesta sexta-feira (6).

“Sabemos que ainda há muitos clientes fieis que têm usado o AIM há muito tempo e adoramos ter desenvolvido esse primeiro aplicativo”, diz, no site da AOL, um comunicado da Oath, a unidade de internet da Verizon, empresa que adquiriu os ativos digitais da Yahoo em 2017.

“Agora, todos nós na AOL estamos felizes de continuar criando novos e emblemáticos produtos e experiências”, continua a nota de uma das empresas pioneiras da internet.


A companhia explicou que os e-mails @aim.com vão continuar funcionando, apesar do fim do serviço de mensagens instantâneas.

As listas de contatos não vão poder ser guardadas e todos os dados dos usuários serão deletados. Os usuários do AIM vão poder, entretanto, guardar imagens manualmente, antes de 15 de dezembro.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

👀 CUIDADO: Novo golpe no WhatsApp promete desconto no Boticário

Um novo golpe está circulando no WhatsApp prometendo um desconto falso de 150 reais na rede O Boticário.


No ar há dois dias, a empresa de segurança digital PSafe estima que mais de 400 mil usuários tenham recebido o conteúdo–porém, nem todos caíram no golpe.

A mensagem pede que o usuário compartilhe a promoção com mais dez amigos no WhatsApp para liberar o desconto. Então, ele é direcionado a assinar um serviço pago de SMS e a baixar aplicativos que podem infectar o smartphone com malware.

No caso do serviço de SMS, a solução é contatar sua operadora de telefonia e cancelar a assinatura indevida, se você tiver contratado o serviço por acidente.

A equipe de O Boticário já toma providências para conter o golpe propagado por meio do WhatsApp.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

📱 DICA: 5 ajustes para reduzir consumo de bateria do iPhone no iOS 11

O iOS 11 é o mais novo sistema da Apple para iPhones. Se o seu aparelho já está ficando antigo e a bateria não dura tanto quanto antes, você pode fazer alguns ajustes para melhorar essa situação.

O novo iOS mudou a forma como Wi-Fi e Bluetooth são desligados. Quando você os desativa pela central de controle, o menu que aparece quando deslizamos o dedo de baixo para cima da tela, eles apenas desconectam o seu aparelho de outros dispositivos. Para desligá-los efetivamente, você precisa ir ao menu Ajustes do sistema e desativar suas respectivas opções.

- Wi-Fi Assist

O Wi-Fi Assist é um recurso que ajuda seu smartphone a estar sempre conectado à melhor rede disponível, seja ela Wi-Fi ou a da sua operadora–o que pode causar gastos não previstos do seu pacote de dados. Além do impacto no seu 4G, esse recurso também gasta a bateria do seu dispositivo. Para desligá-lo, é preciso ir até as últimas opções da aba Celular do menu Ajustes.
Papel de parede

O papel de parede do iOS 11 tem efeitos de movimento que podem ser desligados para deixar seu smartphone mais eficiente. Basta mudar isso no menu “Papel de Parede” dentro de Ajustes.

- Brilho

Um dos recursos mais conhecidos para poupar bateria de um celular é manter o brilho da tela baixo. No entanto, a Apple deixa a regulagem de brilho automática escondida no sistema. Ela não fica no menu referente a tela e brilho. Você vai encontrá-lo dentro de Geral>Acessibilidade>Adaptações de tela. Para regular o brilho da tela manualmente, basta usar a central de controle do sistema.

- Localização

No menu de privacidade do iOS 11, você pode entrar em serviços de localização e conferir se algum dos seus aplicativos está com o modo de rastreamento sempre ativo. Se encontrar um deles, desligue-o ou mude-o para “durante o uso”.

Logo abaixo da lista de apps que aparece nessa tela, você vai encontrar uma opção chamada serviços do sistema. Lá, você poderá desativar um recurso chamado Locais Importantes (antigamente chamado de Locais Frequentes). 

É uma boa ideia desligá-lo não só pela sua bateria, mas pela sua privacidade. Esse recurso rastreia você a todo momento e elenca as suas localizações mais frequentes.

📲 Novo iOS 11 faz iPhone consumir mais que o dobro da bateria

Adicionar legenda
Uma tremenda má notícia para quem atualizou seu iPhone ou iPad para o iOS 11: o sistema pode consumir até o dobro de bateria do que o iOS 10.

A nova versão do sistema operacional para dispositivos móveis da Apple foi liberada para download na semana passada. Usuários têm reclamado que a bateria do smartphone está durando menos agora do que com a versão anterior.

Para sair do “achismo”, a empresa de segurança Wandera observou o consumo de bateria do iPhone entre 50 mil donos de iPhone. A empresa teve o cuidado de selecionar o mesmo perfil de usuários para que os números sejam compatíveis.

O que a Wandera encontrou é preocupante para quem atualizou seu iPhone na última semana. As estimativas da empresa mostram que, entre usuários do iOS 10, a média é de uso do iPhone por 240 minutos antes que a bateria fique vazia.

Entre usuários do iOS 11, o número é bem menor. São apenas 96 minutos de uso antes que a bateria se esgote.

O aumento no consumo de bateria acontece de forma geral no novo sistema. Pela primeira vez, a Apple traz três estados possíveis de Wi-Fi e Bluetooth (além de ligado e desligado, ele pode permanecer funcionando, mas sem qualquer conectividade).

terça-feira, 29 de agosto de 2017

🚗 Google Maps passa a mostrar disponibilidade de vagas de estacionamento no Brasil

O Google Maps agora ajudará motoristas a encontrar uma vaga para deixar o carro.

O recurso já existia fora do Brasil. A novidade é que, agora, ele estará funcionando nos municípios de São Paulo e Rio de Janeiro. 

Para ter acesso ao recurso, o usuário deve atualizar seu app do Google Maps para iPhone ou Android.


O aplicativo do Google mostrará ao piloto qual o grau de dificuldades para encontrar vagas no endereço de destino. As informações são exibidas no “card” que dá previsão de tempo de deslocamento, entre outras informações.

A dificuldade de encontrar vagas é exibida em três níveis: fácil, médio ou difícil. O Google informa que as classificações são obtidas a partir de histórico de dados e uso de técnicas de machine learning.

Veja mais informações neste post no blog do Google.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

📚 Conheça 40 cursos de TI online e grátis oferecidos pelo governo

Há uma boa variedade de sites que oferecem cursos gratuitamente para quem deseja se inteirar sobre a indústria tecnológica uma das que mais crescem atualmente. 

Nem todos estão disponíveis em português, o que afasta alguns brasileiros que se interessam pela área, mas o Brasil não está tão carente de iniciativas do tipo.

Uma das principais é a Brasil Mais TI, que, sob tutela do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, oferece cursos, informações e um espaço para exposição de currículos e vagas de emprego. 

A plataforma também tem o apoio de empresas como a Microsoft e a Totus.

Os cursos oferecidos na plataforma atinge vários públicos-alvo, atingindo tanto os iniciantes quanto aqueles que já tem familiaridade e querem aprimorar seus conhecimentos. 

Entre os conteúdos cobertos no sistema estão programação em Java, Cobol, .NET, introdução a C# e vários outros.

Para conferir a lista completa de cursos, basta clicar neste link.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

😲 Já parou para pensar no que acontece em apenas um minuto na internet ?

Você já parou para pensar no que acontece em apenas um minuto na internet em nível mundial? A Cumulus Media fez um levantamento e criou um infográfico que mostra exatamente isso.

O número mais alto de interações por minuto é o de mensagens. Em 60 segundos, 156 milhões de e-mails são trocados e 16 milhões de mensagens de texto são enviadas na web.

O YouTube também está no topo do ranking com 4,1 milhões de vídeos assistidos. E o Google não está só bem posicionado nesse ranking com a sua plataforma de vídeos. O seu buscador fica na quarta colocação com 3,5 milhões de pesquisas realizadas online.

Em termos de dinheiro, um minuto na internet representa transações no valor de 751.522 milhões de dólares no e-commerce. 

Um levantamento relacionado foi feito pela empresa de redes sociais Hootsuite e também trouxe mais alguns números sobre o uso da internet mundial:

O planeta tem 7.476 bilhões de pessoas e 3.773 bilhões delas usam a internet
  • 2.789 bilhões são usuários de redes sociais
  • 4.917 bilhões é o número de acessos únicos via smartphones
  • 2.549 bilhões é o número de pessoas que usam regularmente smartphones

Veja o infográfico a seguir.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

⛽ Combustível está caro? Veja apps que podem te ajudar a economizar...

A alta do preço dos combustíveis causada pelo aumento dos impostos sobre a categoria ordenado pelo governo de Michel Temer (PMDB) deixou muito brasileiro irritado. 

Em tempos de crise, a solução é ou deixar o carro na garagem ou buscar economizar o máximo possível com combustível. Nesta segunda opção, alguns apps são bem importantes que podem te ajudar a economizar no combustível. 

Existem desde apps que mostram preços em postos ou qual combustível é mais vantajoso ao seu consumo até aplicativos que promovem cashback (devolução de dinheiro) das compras realizadas por vocês. Confira abaixo:


Apps para economizar no combustível:

Álcool ou Gasolina, Chefia?
No aplicativo, o motorista consegue usar uma calculadora inteligente para decidir qual combustível escolher. Para isso, é necessário digitar o preço atual da gasolina e do álcool. O serviço está disponível para os sistemas iOS (http://zip.net/byqXzF) e Android (http://zip.net/bwqWJg).

Combustíveis (iOS) ou Preço dos Combustíveis (Android)
O app permite que o usuário compare o preço dos postos de gasolina mais próximos. É possível ter uma visão dos valores no mapa e navegar separadamente pelas categorias Gasolina, Álcool e Diesel. No sistema Android, o app é achado como Preço dos Combustíveis (http://zip.net/brtMjY). No iOS, ele é chamado de Combustíveis.

Carrorama
O software calcula o gasto médio por dia e por quilômetro e ainda exibe o desempenho do veículo com cada tipo de combustível. Com esses dados, fica muito mais fácil organizar e planejar as despesas. Disponível para Android (http://zip.net/brtMjZ) e iOS (http://zip.net/bfkJFV).

Waze
Popular aplicativo de transportes para escapar do trânsito, o Waze também oferece preços de combustíveis a partir de colaborações de usuários. O app também calcula rotas com menos carros para que o motorista não fique parado no trânsito. Assim, o usuário acaba economizando combustível. Está disponível para iOS e Android.

Méliuz 
O Méliuz é um aplicativo de cashback que devolve dinheiro aos consumidores a cada compra realizada. Entre os estabelecimentos parceiros, existem vários postos de combustível. Às vezes é melhor comprar em um posto que a gasolina ou etanol esteja mais caro, mas com um cashback melhor. Há promoções de "super cashback", em que o usuário pode ter devolvido até 100% do gasto. Depois, você pode transferir o dinheiro para sua conta. Disponível para Android e iOS.

Beblue 
Funciona da mesma forma que o Méliuz com cashbacks e tem mais experiência em estabelecimentos físicos, como postos de combustível. A diferença é que o Beblue não permite que o dinheiro do cashback seja sacado: os créditos ficam dentro do app para você utilizar em qualquer loja que seja parceira do aplicativo ? por exemplo, voltar ao mesmo posto para reabastecer. Disponível para iOS e Android.

Econoflex
Compatível apenas com Android (http://zip.net/byqXzL), o aplicativo calcula se é mais vantajoso usar gasolina ou álcool. Assim, faz com que você economize na hora de abastecer. Na prática, o usuário digita o valor atual da gasolina e o app fornece o preço máximo que ele pode pagar pelo álcool.

Carango
A plataforma reúne informações sobre combustível, licenciamento, multas, troca de óleo, calibração de pneus e outros. A manutenção de alguns desses fatores influencia no desempenho do automóvel e ajuda a economizar combustível. O aplicativo é apenas compatível com smartphones Android (http://zip.net/brtMj0).

Gasoleta
Além de indicar a opção mais econômica de combustível, o app mostra a quantia, em dinheiro, que o usuário irá poupar a cada quilômetro rodado. Para isso, é necessário fornecer uma média do consumo do veículo com gasolina e álcool. O Gasoleta está disponível apenas para Android (http://zip.net/bntMpp).

Fuelio
App para Android (http://zip.net/bptMWQ), o Fuelio serve para acompanhar sua quilometragem, além do consumo e custos de combustível. Ele te mostra um acompanhamento de suas despesas com o veículo, dos abastecimentos, do consumo de combustível e dos preços de combustíveis. É possível compartilhar os dados para serviços na nuvem, como Dropbox e Google Drive.

Gasnol
Gasnol (http://zip.net/bstMF2) é outro app para Android que tem o objetivo de mostrar qual o melhor combustível para você abastecer entre gasolina e etanol. O calculo é feito a partir da taxa de rendimento de cada veículo e ainda é possível obter uma previsão de custo mensal e quanto será o rendimento por abastecimento.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

📱 Desenvolvedor cria lista com apps do Google Play que ninguém deveria instalar

O Google Play é a alma do Android. É ele que faz o sistema ser tão especial, com tantos aplicativos interessantes e úteis. 

Infelizmente, porém, a falta de controle do Google sobre o que os desenvolvedores publicam também abre espaço para que muito lixo seja disponibilizado na loja.

Um desenvolvedor, usuário do Reddit, percebeu a situação e achou que a melhor forma de lidar com o problema seria criando uma “lista da vergonha” para denunciar os aplicativos que adotam práticas negativas. 

A lista está disponível no site Android Blacklist, neste link.

Todos os itens listados no site incluem ao menos uma das características negativas apontadas abaixo:
  • Anúncios intrusivos: o app usa muita publicidade, tem uma ética incorreta para anúncios ou coloca anúncios onde não devia, como na tela de bloqueio;
  • O aplicativo não faz o que promete ou simplesmente não faz nada;
  • Problemas de privacidade: o app rouba seus contatos, monitora você ou faz alguma coisa que infringe sua privacidade de uma forma que não devia;
  • O aplicativo instala vírus no celular ou funciona como Trojan para permitir a entrada de outros vírus;
  • O aplicativo exige root desnecessariamente para funções que não precisam disso;
  • Permissões questionáveis, como um editor de texto que pede acesso aos seus contatos;
  • Desenvolvedores com histórico suspeito.
Até o momento a lista é curta, mas representativa. Ela abrange aplicativos bastante conhecidos como o TrueCaller, apontando a prática de coletar todos os seus contatos para funcionar como identificador de chamadas e a suspeita de que a empresa estaria vendendo dados pessoais, e o ES File Explorer, um dos mais populares gerenciadores de arquivos do Android pelos seus anúncios invasivos.

Enquanto a lista publicada ainda está pequena, a lista de apps que devem ser publicados em breve já está grande. Ela está disponível nesta planilha do Google Docs, que também mostra quais são os “crimes” cometidos por cada um dos apps, embora sem riqueza de detalhes.

terça-feira, 25 de julho de 2017

🚫 Página falsa do Ponto Frio, 'Semana de Ofertas', é novo golpe no Facebook

Está se tornando cada vez mais comum encontrar páginas falsas de grandes lojas no Facebook. 

Agora, uma postagem patrocinada dentro do Facebook traz ao usuário um golpe que simula uma página e um site do Ponto Frio.

A página "Pinguim – Semana de Ofertas", que não é oficial e está no Facebook, conta com mais de 620 curtidas; já a postagem patrocinada 2 mil curtidas e mais de 80 compartilhamentos até o final desta notícia o Facebook retirou a página do ar após contato do TecMundo. 

Além da página, um website (que foi derrubado na manhã desta terça-feira, 25) falso simulava a aparência do Ponto Frio, induzindo a vítima a preencher dados pessoais, desde nome e endereço até informações do cartão de crédito, e roubando estes dados. Dessa maneira, o golpe que se enquadra em phishing.

Caso você não saiba, phishing é um método de ataque simples, baseado no desconhecimento da vítima por isso, se traduzirmos, temos algo como "pescaria". Cibercriminosos utilizam links atraentes ou mexem com a ganância/inocência de um usuário de PC ou celular (vide emails com prêmios em dinheiro) para ter sucesso ao implantar um malware. 

Já sobre este golpe no Facebook, os números não são gigantescos, se pensarmos no número de usuários, mas a ideia aqui é a seguinte: mostrar como você pode se proteger nestes casos.


Como se proteger

Em primeiro lugar, sempre é bom ficar alerta. Não é porque você está navegando no Facebook, Twitter, LinkedIn, Tumblr etc, que você está imune ao phishing. 

Sobre páginas de ecommerces, busque sempre o selo de verificação azul ao lado do nome como primeiro indicador de veracidade porém, vale notar que, mesmo com o selo, as coisas podem estar "fora do tom". Em segundo, mesmo que não seja obrigatório, note se o protocolo HTTPS aparece no link divulgado para mais um fator de segurança.

Se você identificar algum phishing em rede social, denuncie a postagem. Quanto maior o número de denúncias, mais fácil fica para a equipe de segurança do site notar o problema. Além disso, obviamente, não compartilhe a postagem.
Postagens mais antigas Página inicial